Weby shortcut

Defesa de TESE de DOUTORADO - FRANCIELE ALVES CARNEIRO

“Influência de fungicidas sobre o desempenho de nematicidas químicos e biológico no manejo de Meloidogyne javanica em cana-de-açúcar”.

 

DISCENTE: FRANCIELE ALVES CARNEIRO
DATA: 02/05/2019
HORA: 14:00
LOCAL: AUDITÓRIO DO PPGA
TÍTULO:


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-chave: controle químico, controle biológico, interação de produtos, nematoidesdas-
galhas, podridão abacaxi, Saccharum spp.


PÁGINAS: 122
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
SUBÁREA: Fitossanidade
ESPECIALIDADE: Entomologia Agrícola
RESUMO:

RESUMO
CARNEIRO, F. A. Influência de fungicidas sobre o desempenho de nematicidas
químicos e biológico no manejo de Meloidogyne javanica na cana-de-açúcar. 2018. 122
f. Tese (Doutorado em Agronomia: Fitossanidade) - Escola de Agronomia, Universidade
Federal de Goiás, Goiânia, 20181.
O manejo eficiente de Meloidogyne javanica na cultura da cana-de-açúcar pode
ser obtido com o uso planejado de nematicidas químicos ou biológicos, que podem ser
associados a outras práticas de controle para uma maior eficácia. No entanto, com a
necessidade de aplicações de fungicidas para o controle de outras doenças como a podridão
abacaxi em toletes, causada pelo fungo Thielaviopsis paradoxa, os produtores realizam
aplicações desses defensivos simultaneamente ou, em um curto intervalo de tempo, para
controlar ambos os patógenos. Considerando esses aspectos, o objetivo desta pesquisa foi
determinar a eficácia de nematicidas químicos e produtos biológicos no controle de M.
javanica e o efeito da associação desses defensivos com fungicidas (sistêmico e contato)
usados para o controle de T. paradoxa na supressão dos nematoides, bem como o efeito
desses produtos nas alterações da atividade das proteínas relacionadas a patogênese (PRPs).
Com base nos resultados, foi possível determinar que todos os nematicidas químicos testados
foram eficientes na supressão de M. javanica até os 60 dias após a inoculação (DAI). Os
tratamentos com cadusafós e fluensulfone apresentaram os menores níveis populacionais do
nematoide aos 60, 90 e 120 DAI. Os produtos biológicos testados também se mostraram
eficientes no controle de M. javanica, com destaque para Nemix C (B. subtilis + B.
licheniformis), Nemat (P. lilacinum), Serenade (B. subtilis) e Ecotrich (T. harzianum). Em
ensaios com associação de nematicidas e fungicida observou-se que o controle de M.
javanica não foi afetado pela associação dos nematicidas químicos com o fungicida. Já a
capacidade antagônica dos agentes biológicos sobre a população do nematoide foi afetada
pelo fungicida. Quanto a atividade enzimática das plantas após os tratamentos com
nematicidas e fungicida, o fungicida azoxistrobina + ciproconazol favoreceu o aumento
populacional de M. javanica e reduziu a atividade enzimática de fenilalanina amônia-liase
(PAL), lipoxigenase (LOX), β- 1,3- glucanase (GLU) e quitinase (CHI) nas raízes. A
aplicação do nematicida químico associado ao fungicida reduziu a atividade enzimática das
plantas, porém não interferiu na eficiência do controle do nematoide. O uso associado do
fungicida azoxistrobina + ciproconazol com P. lilacinum não interferiu no biocontrole de M.
javanica e a atividade de PAL, LOX, GLU e CHI foi maior nessa associação ou se manteve
igual ao tratamento controle.


MEMBROS DA BANCA: 
Interno - 099.808.328-35 - ALEXANDRE BRYAN HEINEMANN
Interno - 056.451.107-22 - BEATA EMOKE MADARI - EMBRAPA
Interno - 3052474 - CAMILA PRIMIERI NICOLLI
Presidente - 1127299 - MARA RUBIA DA ROCHA
Interno - 051.829.608-32 - MARTA CRISTINA CORSI DE FILIPPI - EMBRAPA